Encontro Mineiro de EspondiloArtrites 2018

encEA2018-Participantes
Participantes do 1º Encontro Mineiro de Espondiloartrites

Realizamos no último dia 19, sábado, o primeiro encontro mineiro de Espondiloartrites. O evento foi realizado no Centro Recreativo da Juventude no centro de Belo Horizonte e contou com a presença de mais de 60 pessoas, entre organizadores, profissionais e pacientes reumáticos.

Tivemos o apoio da Sociedade Mineira de Reumatologia, Sociedade Brasileira de Reumatologia, clínica Reumatocare, clínica Fábio Pense, Droga Raia, Marina Lanza Pena nutricionista e dos blogs Farmale, Artrite Reumatoide, Espondilite Anquilosante Brasil e Eu Enfrento a Espondilite e o patrocínio da Novartis Pharmaceuticals.

A Realização

encEA2018-Organização
Equipe organizadora

O encontro foi pensado, planejado e organizado por grupos de apoio e blogueiros de Espondiloartrites. Foi criado por pacientes para pacientes e o maior objetivo foi a conscientização da sociedade em geral para a situação dos pacientes reumáticos.

Se uniram nesse evento os blogs Eu Enfrento a Espondilite, Espondilite Anquilosante Brasil, Artrite Reumatoide, Farmale e os grupos Encontrar, GRUPAR-RP, GRUPASP, Associação Brasileira Superando o Lúpus e ABCD Crohn.

O Encontro – encEA2018

Começamos o evento com entrega dos kits informativos e um café da manhã para auxiliar na integração entre os participantes. Após um momento de descontração, foram iniciadas as atividades do evento com a apresentação dos blogueiros convidados.

encEA-DrGustavo
Dr. Gustavo Resende

Na sequência, o doutor Gustavo Resende, médico reumatologista, fez a palestra intitulada Espondiloartrites, doenças além da dor. onde o dr Gustavo explicou o que são as Espondiloartrites, os fatores de risco, as manifestações articulares das Espondiloartrites, as manifestações além das articulações, as recomendações para pacientes com Espondiloartrites e, ao término de sua apresentação, destacou a importância de grupos de pacientes e eventos como esse.

Nesse momento, foi aberta a palavra para todos os pacientes para que as dúvidas fossem respondidas pelo médico reumatologista e demais participantes. Esse momento foi muito importante para o enriquecimento e divulgação de informações, principalmente para os pacientes que nunca participaram de um evento dessa magnitude e/ou recentemente diagnosticado.

Tivemos durante essa rodada de perguntas e respostas, a presença e participação da doutura Adriana Kakehasi que mesmo com demais compromissos, fez questão de prestigiar o evento e nos incentivar sempre.

encEA-ClinicaFabioPense
Equipe da Clínica Fábio Pense

Ao término das dúvidas, foram apresentados os serviços prestados por apoiadores do evento, como a Clínica Fábio Pense e a Droga Raia. Durante todo o evento, tivemos sessões de quiropraxia e aferição de pressão e glicemia.

A equipe da Droga Raia foi responsável pela aferição da pressão e glicemia que anteriormente foi apresentada pela farmacêutica Paloma.

O doutor Fábio Pense apresentou a técnica da quiropraxia para os participantes e realizou uma demonstração prática para todos durante a explicação. Muitos participantes se interessaram pela técnica e tiveram uma amostra na sala onde foram montadas 3 macas para a aplicação.

encEA-DrogaRaia
Equipe Droga Raia

Após o almoço, foi a vez de ouvirmos a palestra da doutora Juliana Costa Righi, psicóloga, com o título A dor que ninguém vê – importância do atendimento psicológico. Que desmistificou a questão da “Dor ser psicológica” e demonstrou como que um acompanhamento psicológico pode prover uma maior integração do paciente com a sociedade e convívio familiar.

Momentos como esse apresentado pela doutora Juliana deveria contar com a participação da família, amigos e pessoas que interagem com o paciente reumático, pois ficou evidente a importância do conhecimento da doença por todos para uma melhoria da qualidade de vida do paciente, como um todo. A dor é psicológica? Não, mas a falta de conhecimento leva a falta de empatia e, consequentemente, causa situações desagradáveis para os pacientes. Juntos somos mais fortes e mais conscientes.

encEA-DraJulianaRighi
Psicóloga dra Juliana Righi

Outro ponto muito interessante do evento foi a parte intitulada Eu, paciente e o atendimento multidisciplinar que contou com a participação da psicológica dra. Juliana Costa Righi, da nutricionista Marina Lanza Pena, da advogada dra. Juliane Rocha, do fisioterapeuta e quiroprático Fábio Pense, do blogueiro e profissional de educação física Samuel Oliveira, dos blogueiros Hélio Filho e Priscila Torres, além do envolvimento de todos os demais participantes.

Nesse ponto foi destacado a importância de um atendimento multidisciplinar para uma melhor condição de vida do paciente. Tivemos a lembrança da urgência de união de forças e conhecimentos para a sensibilização da sociedade e dos nossos representantes legais (executivo e legislativo) para a emergência de políticas públicas no atendimento aos pacientes com Espondiloartrites, mesmo em um Estado com situação financeira tão caótica quanto Minas Gerais.

encEA-PacienteProfissionais
Momento Paciente e Profissionais

Ressaltamos as dificuldades enfrentadas em diversas prioridades para o recebimento de medicamentos via Sistema Único de Saúde, SUS, das burocracias dos DETRAN’s para expedição de Carteiras Nacionais de Habilitação especiais, das burocracias para aquisição de direitos como passe libre em ônibus municipais e intermunicipais e aquisição da permissão para estacionar em vagas preferenciais. Todos esses problemas foram debatidos e, nessa abordagem, todos foram unânimes quanto a importância de realização de eventos de conscientização e mobilização como esse que participamos. Além disso tudo, foi abordada a dificuldade enfrentada pelos pacientes reumáticos quanto as perícias do INSS, onde boa parte dos peritos e médicos demonstram total desconhecimento das situações pelas quais os pacientes reumáticos enfrentam em seu cotidiano.

encEA-Participantes
Pacientes com Espondiloartrites

Foi muito intrigante e motivador as falas dos profissionais Fábio Pense e Marina Lanza no que tange a importância de uma boa alimentação alinhada à prática constante de atividades físicas por parte dos pacientes reumáticos. Muitos participantes demonstraram, de início, uma certa resistência quanto à tais práticas, porém após um momento de discussão e exposição de táticas e estratégias, todos se convenceram de que, gradativamente, tudo é possível. A experiência da Marina Lanza com o paciente e blogueiro Hélio Filho serviu de exemplo e motivação para vários dos demais presentes.

encEA-Participantes Encontro
Sensibilização da sociedade em geral

Esse momento multidisciplinar em forma de diálogo aberto foi muito elogiado por profissionais e pacientes, pois deixou com que todos pudessem participar de forma mais informal e desenibida.

Para terminar esse dia de enriquecimento e esclarecimentos, tivemos a palestra do doutor Ricardo Cruz Lage, médico reumatologista que nos trouxe a palesta Reumatologista e Paciente juntos na prevenção de sequelas e progressão das Espondiloartrites.

encEA-DrRicardoCruzLage
Doutor Ricardo Lage

O doutor Ricardo iniciou apresentando o criador do Ambulatório de Espondiloartrites do Hospital das Clínicas e a equipe atual, da qual faz parte o doutor Gustavo que abriu os trabalhos desse dia tão produtivo.

Apesar de se mostrarem cansados, os pacientes e participantes presentes demonstraram muito interesse pela apresentação do médico que veio direto do aeroporto para o evento, dada a importância e necessidade de ações como essas.

Ao término da apresentação de como se dá as ações do Ambulatório de Espondiloartrites do HC, foi a vez de explanar sobre o grupo de doenças que fazem parte das Espondiloartrites, suas consequências, os motivos e problemas dos diagnósticos tardios, os tratamentos adotados e a importância de sensibilização da sociedade médica, sociedade em geral e destacou a necessidade e urgência de grupos como os evolvidos nesse 1º Encontro Mineiro de Espondiloartrites.

encEA-OrganizacaoMedicos
Pacientes 2.0 com os médicos dra. Adriana Kakehasi e dr. Gustavo Resende

Durante a apresentação, fomos agraciados com números que expões a utilização e aceitação de cada tipo de medicação adotada atualmente. Além de explicado a necessidade de utilização dos anti-inflamatórios, mesmo com as possíveis consequências renais e no fígado que, com um devido acompanhamento, são quase improváveis.

encEABH
Folder do Encontro Mineiro

Algo que eu achei muito especial na palestra do doutor Ricardo e que casou com o momento Eu, paciente e o atendimento multidisciplinar foi quando ele nos apresentou as formas de tratamentos para a Espondilite Aquilosante, como: Tratamento Não Medicamentoso. Nesse tratamento é salientado a importância da Educação do Paciente, a realização regular de Exercícios Físicos, um acompanhamento fisioterápico e Não Fumar.

Para fechar as exposições, foi complementado que para um bom controle da Espondilite Anquilosante, o tratamento deve-se iniciar o mais rápido possível e, de preferência, com um reumatologista. Não há uma fórmula mágica para o sucesso do tratamento que é totalmente individualizado e cujas decisões são compartilhadas entre o Médico e Paciente.

encEABHLogo1
O logo do nosso encontro

O doutor Ricardo fechou sua apresentação focando na importância de se “Tratar não somente a doença, mas a pessoa que tem a doença“, ou seja, o tratamento é individualizado e muito humanizado.

A impressão que ficou é que estamos no caminho certo, pois as palestras e momentos de exposições foram unânimes em relação à importância das pessoas e não da doença.

Nós da organização ficamos muito satisfeitos com o resultado, com a qualidade das exposições, com o interesse dos participantes e maravilhados com todo o apoio que recebemos antes, durante e após o evento.

Deixo aqui o meu agradecimento de forma muito carinhosa à todos que fizeram possível esse momento e conto com os participantes (pacientes, profissionais, instituições, amigos e parceiros) para os demais passos. Esse foi o primeiro e não será o último. Nós precisamos, a sociedade precisa, médicos e sociedade médica também precisam. Todos juntos faremos a diferença para o futuro das Espondiloartrites.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

Anúncios

Foco, Dedicação e Determinação

HelioFilhoDivisaDosEstadosLuminosa
Divisa de MG e SP

Muitas pessoas não acreditam na própria força e, muito menos, como a determinação pode fazer com que a superação de obstáculos seja algo incrivelmente possível e recompensador.

Quando a pessoa fala para si mesma que ela não é capaz e se coloca como fragilizada, com certeza tudo será mais difícil, complicado e, até certo ponto, impossível.

Isso acontece, pois as palavras têm força e nós somos reflexos daquilo que acreditamos e falamos sobre nós mesmos.

Sempre Acreditarei que Sou Capaz

HelioFilhoBikeMontanhas
O Mountain Bike é um esporte incrivelmente recompensador

Uma coisa que amo muito é o Moutain Bike e esse amor ficou mais evidente em minha vida agora na fase adulta, após um período de depressão e “desamor” comigo mesmo. E infelizmente, foi a primeira coisa que o reumatologista que me diagnosticou com a Espondilite Anquilosante disse que eu teria que deixar. Pois bem, deixei o reumatologista e busquei por outro, no caso outra, que quisesse realmente tratar o paciente e não a doença.

Acredito muito em mim e sei que sou capaz que conquistar o que eu colocar como prioritário na minha vida e, atualmente, o que é prioritário é minha saúde, meu bem estar físico e mental. Venho conseguindo isso diariamente através de muita força de vontade, dedicação e foco.

Rotina Esportiva

HelioFilhoFlexãoBraço
Flexão de braço no treinamento funcional

Ouço constantemente de várias pessoas a seguinte frase: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Pois bem, eu também não tenho. Só que ao contrário de quem tem saúde plena e não precisa se preocupar com uma doença degenerativa, eu tenho urgência em cuidar de mim e da minha saúde.

Não tenho pressa nessa vida, pois não estou com urgência para chegar à outra“. Não sei quem é o autor dessa frase, mas ela se adéqua perfeitamente à minha pessoa. Portanto, consegui colocar algumas prioridades para mim e uma delas é envolve uma rotina esportiva praticamente diária. Sendo:

  • Segunda-Feira: Pedal urbano com a turma do Bike de Elite
  • Terça-Feira: Treinamento funcional
  • Quarta-Feira: Pedal urbano com a turma do Bike de Elite
  • Quinta-Feira: Treinamento funcional
  • Sexta-Feira: Descanso
  • Sábado: Mountain bike
  • Domingo: Mountain bike

Além dessas rotinas fixas, ainda uso a bike como meio de transporte. Nessa modalidade, eu percorro aproximadamente 19 quilômetros diariamente no percurso de casa para o trabalho e regresso para casa.

HelioFilhoAbdominalCanoa
Abdominal canoa no treinamento funcional

A opção de deixar o carro em casa e começar à usar a bicicleta como meio de transporte me trouxe diversos benefícios, dentre os quais destaco: melhoria cardiovascular, diminuição do estresse, melhor qualidade profissional e um grande sorriso no rosto diariamente.

Esse foi o primeiro grande desafio que a bicicleta me trouxe. Todos dizem que Belo Horizonte não é uma cidade “pedalável” e eu provo à mim mesmo diariamente que é sim e que faz um grande bem para o corpo e para a alma.

Acreditar

HelioFilhoMiranteDaLuminosa
Essa vista é uma das recompensas do Mountain Bike

No último final de semana de abril, eu participei de uma etapa de Mountain Bike que entre outros desafios, nos proporcionava subir uma das serras mais difíceis do Brasil que é a Luminosa. Uma subida da serra da Mantiqueira que leva de Brazópolis, distrito de Luminosa, à Campista, distrito de Campos do Jordão.

Esse é um desafio muito forte devido à inclinação, o terreno e a distância a ser percorrida. São poucas as pessoas que conseguem subir essa serra sem precisar parar, eu não consigo. Nesse ponto, reconheço meu limite.

Contudo, é difícil também quem supere essa montanha sem empurrar e, nesse quesito, tenho a grande felicidade e orgulho de dizer que consegui realizar essa façanha por duas vezes. Sempre na estratégia de pedalar um pouco, até quase a exaustão, parar para descansar e seguir de onde parei. É um enorme orgulho e satisfação chegar ao topo da montanha, na divisa dos estados de MG e SP, e com lágrimas no rosto dizer para si mesmo: “Eu consegui!”.

HelioFilhoBikeConversaComPeregrino
Eu quero fazer o Caminho da Fé à pé, mas estou me preparando ainda

Não quero, contudo, parecer prepotente ou exibido, mas deixar aqui de forma evidente que quando se tem foco e determinação não há esforço sem conquistas. Eu acredito sempre em mim e acredito que a EA, apesar de ser uma doença crônica e incapacitante, pode ser vencida ou retardada, com esforço, resistência, determinação e resiliência.

Portanto, meu espondiloamigo, acredite sempre em você. Mesmo nas piores situações, você é quem mais deve acreditar em você mesmo. Não deixe se desanimar pelas tempestades da vida e sempre diga para você, com toda a força de seu coração: “Eu acredito em mim e farei o que for preciso para ser mais forte que essa doença!”.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

07/05: Dia Mundial da Espondilite Anquilosante

MesRoxoEA
Fonte: http://www.espondilitebrasil.com.br

O principal problema da Espondilite Anquilosante é a falta de conhecimento que leva a uma demora em seu diagnóstico, em média 7 anos para se chegar ao real diagnóstico.

Muitas vezes a Espondilite Anquilosante é confundida com dor nas costas e, nós brasileiros, temos mania de automedicação o que retarda a busca por especialistas para investigação e diagnóstico.

EspondiloArtrites

Grupo de doenças que possuem manifestações clínicas comuns, como: artrite, entesites (inflamação de tendões e ligamentos que se conectam aos ossos), uveítes (inflamações nos olhos) e a presença do marcador genético HLAB27.

Fazem parte desse grupo de doenças a Espondilite Anquilosante, a Artrite Reativa, Artrite Psoriásica e as Artrites Enteropáticas.

No Dia Mundial da Espondilite Anquilosante, especialistas alertam para a importância de se consultar com um reumatologista para um diagnóstico e tratamento corretos. Pois, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial sofrerá ao menos uma crise de dor nas costas durante a vida.

Alertas

O principal sintoma da Espondilite Anquilosante é uma dor nas costas que persiste por mais de três meses que pode começar com uma simples dor nas costas ou nádegas e evoluir para, em situações mais graves, dificuldades motoras. A EA é muitas vezes confundida com dores na coluna, na ciática ou hérnia de disco.

Pessoas que sentem muitas dores nas costas devem prestar atenção a alguns sintomas. O ritmo da dor é algo muito importante. A dor da EA, geralmente, piora após um longo período de repouso ou à noite e melhora com exercício ou movimentação. Diferentemente das dores comuns que melhoram com o repouso.

Outro sintoma importante da Espondilite Anquilosante é a rigidez matinal, ou seja, o acordar pode ser mais problemático.

Deve-se ficar atento aos pontos:

  • Rigidez matinal superior à trinta minutos;
  • Dores que começam antes dos 40 anos;
  • Dores que persistem por mais de três meses
    • Iniciam de forma branda e vão piorando;
  • Aparecimento de dores nas articulações;
  • Queixas que envolvem os olhos, intestino ou pele;
  • Histórico familiar de dor nas costas e espondilite.

O diagnóstico precoce é fundamental para o paciente, visando diminuir a evolução da doença e evitar a anquilose e a fusão das vértebras que pode levar à incapacidade do paciente.

Desconhecimento

encEABH
1º Encontro Mineiro de EspondiloArtrites

A Espondilite Anquilosante é, contudo, uma doença grave e deve ser tratada como tal. O desconhecimento é um grande problema para as pessoas que possuem a doença e, muitas ações, realizadas por grupos de pacientes com o apoio da Sociedade Brasileira de Reumatologia visam mudar esse quadro que pode ser o diferencial entre uma vida satisfatória e uma invalidez precoce.

No último final de semana houveram dois eventos em São Paulo com o intuito de propagar conhecimentosn e sensibilizar sobre as EspondiloArtrites. No sábado um encontro com profissionais e pacientes que contou com palestras e tira dúvidas e no domingo ao ar livre em um parque, uma divulgação para a sociedade em geral.

Durante todo o mês de maio, haverá diversas manifestações como essas, inclusive aqui em BH que ocorrerá no dia 19, conforme fôlder ao lado.

Fontes de Informação:

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

1° Encontro de EspondiloArtrites em BH

encEABHLogo1

Com muito empenho, esforço, determinação, dedicação e um pouco de falta de vergonha na cara, nós conseguimos transformar um sonho em realidade.

Iupiiiiii…. O nosso primeiro encontro sairá do papel!

Aproveitando o Dia Mundial da Espondilite Anquilosante, vamos realizar o 1º Encontro Mineiro de EspondiloArtrites.

Gostaríamos muito de contar com a participação de todos os interessados sejam pacientes, profissionais, familiares e amigos.

Será um dia muito importante para conhecimento e sensibilização sobre esse tema tão importante e desconhecido.

encEABH

Formamos uma equipe com muita vontade que pouco de conhecem e inspirados em boas práticas, nos organizamos via aplicativo de mensagens instantâneas em prol desse mesmo objetivos.

Temos pessoas de BH, Vespasiano, São Paulo, enfim, várias cidades na vontade de que esse objetivo aconteça.

Agora, contamos e esperamos que você venha participar conosco desses primeiros e promissores passos.

Clique aqui e faça agora mesmo sua inscrição.

Veja os detalhes no Facebook.

O Evento

1° Encontro de EspondiloArtrites de BH.

Data: 19/05/2018

Horário: 9:00

Local: Centro Recreativo da Juventude – Galeria Romão

Rua Guaicurus, 50 ( ao lado da Praça da Estação)

Agenda

09:00 – Credenciamento

09:30 – Café da manhã

10:00 – Apresentação

10:30 – EspondiloArtrites, doenças além da dor. Dr. Gustavo Resende – Médico Reumatologista

12:00 – Almoço

13:00 – A dor que ninguém vê – importância do atendimento psicológico. Dra. Juliana Costa Righi – Psicóloga

14:00 – Mesa redonda “Eu, paciente e o atendimento multidisciplinar

  • Dra. Juliana Costa Righi – Psicóloga
  • Marina Lanza – Nutricionista
  • Pedro Henrique – Profissional Educação Física
  • Fábio Pense – Fisioterapeuta
  • Juliane Rocha – Advogada
  • Nilma Rodrigues ARUR – Associação dos Reumáticos de Uberlândia e Região
  • Priscila Torres – ENCONTRAR
  • Samuel Oliveira – Espondilite Brasil

16:00 – Reumatologista e paciente juntos na prevenção de sequelas e progressão das espondiloartrites. Dr Ricardo Cruz Lage – Médico Reumatologista

17:30 Encerramento

enEABH1

Durante todo o dia, contaremos com farmacêutico para aferição da pressão e glicemia, além de massagens.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

Ser Resiliente

Resiliência é uma palavra que ganhou notoriedade nos últimos anos, principalmente no meio profissional, mas que serve e muito para a vida.

Muitas pessoas não sabem o que significa ou desconhecem essa palavra, mas ela resume muito bem como deve ser a vida de quem busca por dias mais felizes.

Resiliência

ResilienciaEAO que é resiliência a final?

Resiliência é um termo oriundo do latim resiliens e é a capacidade de voltar ao estado normal, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum

Portanto, ser resiliente é uma característica que nós devemos ter para enfrentar as barreiras que nos são impostas pela vida, pela sociedade, pelo trabalho, pela família e, principalmente, pela doença.

Precisamos ter resiliência para lidar com nossos próprios problemas, vencer os obstáculos que nos são impostos e não ceder à pressão, seja qual for a situação que tenhamos que enfrentar.

A Resiliência na Espondilite Anquilosante

ResilienciaHelioFilho
Fortalecimento muscular

Antes do diagnóstico da EA, eu não tinha tempo para praticamente nada na minha vida. Eu vivia para o trabalho de uma forma intensa e destruidora, tanto para mim quanto para minha saúde e meu corpo.

Não ouvia meu corpo e nem percebia minhas limitações, era um constante desgaste físico e psicológico. Mal me preocupava com as necessidades básicas da vida, como horário para alimentação e etc.

Passei por períodos de grave depressão que me acometeu uma gastrite nervosa que me corroía por dento e mal me deixava dormir. Eram noites e noites em claro devido às consequências dessa depressão. Minha saúde ia muito mal.

Pouco antes do diagnóstico, já havia mudado um pouco minha rotina. Ainda trabalhava muito, mas encontrei um tempo para fazer algumas atividades que me geraram energia e me desligavam da rotina diária de trabalho e mais trabalho.

 

Após o período de negação da doença, resolvi que seria hora de encarar a mesma de forma inteligente e benéfica para mim. Foi hora de arregaçar as mangas e focar num conjunto de ações que me fariam mais forte para viver a vida de forma intensa. Essas ações envolveram mudar minha forma de alimentação e realizar atividades físicas que fortalecessem a minha musculatura axial e costas.

Coincidentemente, essas atividades físicas são as mesmas que preciso para o esporte que mais gosto, ou seja, o ciclismo. Em específico, o Mountain Bike.

AcrediteEmVoce
Equilíbrio e força

Conversei com meu personal na academia que estudou um pouco sobre a EA e me propôs uma séria de exercícios para fortalecimento do core (quadril, abdome e glúteo), das costas e tórax, além é óbvio dos membros inferiores e superiores. Enfim, um treinamento completo.

Para que não fosse realizado apenas a musculação pura e simples, foi proposto um treinamento funcional que, de forma resumida, é uma abordagem que se baseia em quatro domínios (estabilização espinal, resistência, flexibilidade e equilíbrio) e aplicado no campo da reabilitação a fim de recuperar funções perdidas das pessoas.

O treinamento funcional gera resultados positivos como melhora da estabilidade articular, amplitude de movimento, controle neuromuscular, entre outras. Contudo, não é a porta de entrada para quem está sedentário. Antes de iniciar quaisquer atividades físicas, profissionais competentes devem ser consultados.

Atualmente com 40 anos, eu me sinto muito mais forte e mais jovem que quando eu tinha 30 anos. A experiência é algo importante, mas sinto que estou melhor a cada dia, tanto física quanto psicologicamente.

A atividade física nos faz muitíssimo bem e é importante, principalmente na fase em que me encontro que é quando a perda muscular começa a se intensificar. É, estou ficando velho, mas um velho resiliente.

PalmeiraResilientePor mais difícil ou doloroso que seja, é importante levantar e começar com um pouquinho de cada vez. Não devemos nos acomodar de forma alguma. A EA agradece quando somos sedentários e se esconde quando somos ativos. Comece, nem que seja, com espreguiçadas longas e demoradas ao acordar, para depois alçar alguns vôos mais altos.

Sejamos, resilientes, como uma palmeira que diante de uma tempestade, pode balançar e até mesmo entortar, mas dificilmente cairá ou quebrará. Ela “dança” junto à tempestade e volta ao seu eixo assim que possível.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

Ah o Dia Mais Doido do Ano!

DoiDiMaiO dia do meu nascimento diz muito sobre mim e explica esse espírito doido que eu tenho, afinal eu nasci no dia Mais Doido do Ano. Em bom mineirêz, eu nasci no dia “Doidimai“, ou seja, Dois de Maio que pode se entendido, também, como Doido Demais.

O último dia DoiDiMai foi realmente muito especial para mim, pois completei o meu quadragésimo aniversário. Como proferido por um conhecido dito popular: “A vida começa aos 40”. Que assim seja!

Reza a teoria médica que a Espondilite Anquilosante é uma doença que acomete adultos masculinos jovens entre 20 e 40 anos, mas que também ocorre em mulheres. Teoricamente, estou na idade em que a EA deixa te ter ações tão severas nos portadores dessa doença, mas nem por isso vou relaxar e baixar a guarda que tenho criado sobre esse doença. Apenas citei isso para que eu mesmo perceba que chegar aos 40 não é de todo ruim e não é mesmo.

40tão – DoiDiMai (02/05)

HelioFilhoJordanaChegar aos 40 foi realmente muito gratificante para mim, pois segundo informações, eu nasci com o mesmo problema de saúde que levou meu irmão ainda bebê para a casa do Pai.

Aos 37 anos fui diagnosticado com a Espondilite Anquilosante em que o médico que diagnosticou me deixou extremamente preocupado com o meu futuro dali em diante.

Só que aqui estou eu, mais feliz, mais forte e muito mais consciente dos meus próprios limites que quando tinha 30 anos. Sou uma pessoa melhor e mais forte que há 10 anos atrás, com toda certeza.

HelioFilhoFamilia
Brinde com vitamina de abacate

Eu tenho a felicidade de ter nascido em um berço que me ensinou a ser humano. Me mostrou que ser é muito mais valioso que o ter e que a empatia, apesar de meus pais nunca terem dito essa palavra para mim, é algo que nos inspira à ser melhores dia após dia.

Nesse dia tão especial para mim, tive a honra de acordar ao lado da mulher que me escolheu para estar ao seu lado até o fim de nossas vidas. Logo pela manhã, minha irma me mandou uma mensagem que viria almoçar comigo e com ela viriam meu cunhado (que é mais que um irmão) e meus sobrinhos, ou seja, a felicidade seria plena.

Infelizmente, por motivos profissionais, meu cunhado não veio para o almoço, mas chegou ao final da tarde e pudemos comemorar bastante. A alegria era visível em todos que se encontravam comigo.

Recebi diversas manifestações de carinho por redes sociais, telefones e uma, em especial que me fez ficar muito emocionado.

HelioFilhoTurmaDeElite
Não sei como agradecer tanto carinho

A turma que eu ando de bicicleta toda segunda e quarta, meu aniversário caiu na quarta-feira, após o pedal rotineiro vieram aqui para minha casa com uma festa surpresa toda armada. Foi algo esplendoroso que não tenho como agradecer. Foram muitos abraços, carinhos, beijos e demonstrações diversas de amor para com a minha pessoa. São demonstrações como essas que nos fazem perceber que nem todo o dinheiro do mundo é mais valioso que se ter pessoas que deixam tudo do sua rotina para te dar um abraço, um beijo num dia tão especial.

Meus amigos, irmãos, sobrinhos, tios, tias, primos, primas, enfim, todos que nesse dia se lembraram de mim de alguma forma, eu só tenho a agradecer imensamente por todo esse carinho de dizer que são gestos como esses que me alimentam na luta contra toda e qualquer dificuldade que a vida possa me proporcionar.

Que Deus os abençoe enormemente e que eu possa retribuir de alguma forma tão calorosa alegria que vocês encheram o meu pequeno coração. Obrigado por existirem.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!

Cuidado com a Saúde

time-1739629_960_720O tempo é algo que não perdoa ninguém e alguns cuidados são de extrema importância para que tenhamos uma vida mais tranquila e longa.

Normalmente escutamos que a prática constante de atividade física é fundamental para a longevidade. Sim, de fato isso é muito importante. Contudo, é primordial que tenhamos acompanhamento profissional para que a prática esportiva não seja um gatilho para um fim precoce da vida.

Consulte o Médico Regularmente

Os antigos usam uma frase que eu nunca foi muito à favor que é “Quem procura, acha“. Isso é uma cultura antiga que muitas pessoas ainda atualmente utilizam e é de uma nocividade muito grande. Toda e qualquer patologia descoberta na fase inicial tem uma probabilidade maior de cura ou de controle.

Não adianta ter medo ou receio de ir ao médico, independente de ir ou não, uma patologia pode ocorrer silenciosamente e só se manisfestar quando for tarde demais. Realizando consultas periódicas, existe uma dificuldade de diagnóstico de algumas doenças, como a Espondilite Anquilosante entre outras.

Atividade Física

team-23885_960_720
Atividade física em grupo ajuda a não desistir

A importância de se realizar atividades físicas com acompanhamento de profissionais qualificados se faz por motivos diversos. Dentre eles, a exigência de uma avaliação física preliminar que pode identificar a necessidade de um encaminhamento para um profissional responsável, um cardiologista ou clínico geral.

Muitas pessoas se propõe a realizar atividades físicas sem uma avaliação prévia e isso pode ser um grande risco à saúde por questões cardiovasculares. Tudo começa com uma pequena caminhada, um “trotezinho”, uma volta despretensiosa de bicicleta e quando menos se assusta a pessoa está a se atrever à desafios maiores, uma competição ou longas distâncias.

Avaliação Física

heart-1698840_960_720Uma boa avaliação física é importante tanto para atletas profissionais quanto para atletas amadores, apesar desses muitas vezes serem um pouco displicentes com essa questão.

Será na avaliação física que o profissional responsável fará uma análise de fatores pessoais, hábitos de vida, uso de medicamentos, medições de pressão arterial, frequência cardíaca (em repouso e em atividade), composição corporal e um diagnóstico de postura e flexibilidade.

De posse desses dados, o profissional responsável indicará a atividade mais indicada para o objetivo do atleta. Esse profissional pode, contudo, encaminhar o aspirante à atleta para uma consulta médica, caso ele encontre alguma situação que possa indicar alguma anormalidade.

Avaliação Médica

fitness-2730768_960_720Eu penso que assim que o corpo humano é como um veículo automotor que necessita de manutenções constantemente. Tais manutenções podem ser preventivas ou corretivas. No veículo uma manutenção corretiva, por falta de prevenção, pode gerar um custo financeiro muito grande. Contudo, isso não acontece com a nossa saúde, ou seja, uma manutenção corretiva pode não surtir efeito em casos tardios de diagnósticos.

Por conta dessa analogia, até certo ponto, estranha que acho de estrema importância consultas regulares à médicos específicos. Faço acompanhamento anual com a minha reumatologista, anual com o cardiologista e semestral com o clínico geral.

Não é bom deixar para nos preocuparmos com a saúde quando a perdemos, pois aí poderá ser muito tarde e a recuperação impossível.

A avaliação médica é importante para todos que pretendem iniciar quaisquer atividades físicas, sejam em academias, estúdios ou mesmo ao ar livre. Uma avaliação clínica pode ser o diferencial entre a vida saudável e uma enorme frustração.

Me sinto confortável e tranquilo fazendo minhas visitas médicas de rotina. Assim como a Espondilite Anquilosante, se for de me acometer quaisquer outras patologias e/ou consequências, eu quero ser o primeiro a saber e ter esse diagnóstico logo de início.

A atividade física me ajuda muito nisso, pois sinto a necessidade grande de ouvir os profissionais envolvidos na evolução.

Consulte um clínico geral, um cardiologista e um metabologista antes de iniciar as práticas de esporte que serão vitais para uma melhor condição física e cardiorrespiratória.

Viva Plenamente

water-aerobics-1670754_960_720Eu sei que é difícil, para alguém com Espondilite Anquilosante, realizar muitas atividades ditas e consideradas normais do dia a dia. Subir escadas ou levantar da cama podem ser ações impensáveis, mas comece com o que for possível, mas movimente-se sempre!

Comece o dia a se espreguiçar, isso é um tipo de alongamento e alongar-se é um grande remédio para minimizar a perda de flexibilidade causada pela Espondilite Anquilosante.

Assim sendo, temos duas atividades importantes como ponto de partida:

  • Espreguiçar
  • Alongar

Esse é o começo, o restante será gradativo e com uma boa avaliação física, uma avaliação médica e nutricional, além do acompanhamento de um profissional responsável para a proposição de atividades compatíveis com a necessidade de cada pessoa. Não há receita mágica, cada organismo se comporta e responde de uma determinada forma diferente que outros. Portanto, não pense no que o outro faz; comece a fazer o que você consegue, evolua aos poucos e jamais corra nessa vida, pois não há pressa alguma para chegar à outra.

Eu optei por viver intensamente a vida e não a dor!